NR 17: novo guia da Firjan SESI auxilia adequação dos postos de trabalho às características físicas do colaborador

16/11/2021 | FIRJAN

Com nova redação, publicada em outubro, a Norma Regulamentadora 17 entra em vigor em 3 de janeiro de 2022. De acordo com o texto ratificado pela Comissão Tripartite Paritária Permanente (CTPP), formada por representantes do governo e entidades empresariais e de trabalhadores, os itens de mobiliário dos postos de trabalho dos colaboradores devem permitir ajustes às dimensões corporais de cada usuário.

Para auxiliar e apoiar as empresas no processo de transição às novas determinações, a Firjan SESI elaborou o Guia Prático sobre Posto de Trabalho, que reúne informações quanto à disposição de mobiliário administrativo em concordância com os termos da NR 17.

Conforme o presidente do Conselho Trabalhista da Firjan, Luiz Carlos Renaux, trata-se de um importante material de orientação para a jornada laboral dos trabalhadores. “A Firjan SESI, visando facilitar a correta aplicação da portaria, lança este guia para gerar às empresas e trabalhadores conforto, segurança, saúde e eficiência operacional.”

Clique aqui e baixe o Guia Prático sobre Posto de Trabalho

“As orientações já eram fornecidas no manual técnico da NR 17, mas, com a atualização do texto, foi necessário trazer mais clareza ao assunto, sobretudo em função da realidade do trabalho em home office, adotado por muitas empresas durante as fases mais críticas da pandemia”, destaca a ergonomista Paula Quintas, especialista em Segurança do Trabalho da Firjan SESI.

Em fase de distribuição a todos os associados da Firjan, a publicação detalha as especificações, disposições e padrões de regulagem para o mobiliário usado nos postos de trabalho administrativos, sejam eles dentro das empresas ou em regime de home office.

“A situação do trabalho remoto nos leva a ter maiores cuidados para evitar acidentes ou lesões. Ajustes inadequados comprometem a postura e a melhor execução das atividades”, afirma a especialista, lembrando que os trabalhadores devem estar atentos a essas recomendações, inclusive nos casos de retomada do trabalho presencial, em função das diferenças de mobiliário.

Leia na íntegra.

chevron_leftvoltar